Quem é Jesus?

name_Jesus2Nunca nenhum homem foi capaz de abalar tanto os alicerces mais sólidos das ciências e das instituições humanas como Jesus Cristo. Seus discursos chocam os conceitos fundamentais da medicina, psiquiatria, física, sociologia.

 O pai da medicina, Hipócrates, viveu séculos antes de Cristo. A medicina é uma ciência fantástica. Ela sempre usufruiu dos conhecimentos de outras ciências objetivando produzir técnicas para aliviar a dor e retardar o fenômeno da morte. A medicina pode fazer muito para quem está vivo, mas nada para quem está definitivamente morto. Jesus perturbou os pressupostos da medicina ao discorrer sobre a superação do caos da morte e sobre a janela da eternidade.

 As suas palavras também chocam a psiquiatria. A psiquiatria é uma ciência poética. Ela trata da alma, que é bela e real, mas intangível e invisível. Ela objetiva corrigir as rotas do mundo das idéias e a aridez da personalidade humana.

 Nenhuma espécie é tão complexa quanto a nossa e nenhuma sofre tanto como ela. Milhões de jovens e adultos adquirem conflitos e são vítimas da depressão, ansiedade, stress. Nunca a tecnologia do lazer foi tão grande e nunca as pessoas estiveram tão tristes e com tanta dificuldade de navegar nas águas da emoção.

 Os medicamentos antidepressivos e tranquilizantes são excelentes armas terapêuticas, mas não têm capacidade de conduzir o homem a gerenciar seus pensamentos e emoções. A psiquiatria trata do homem doente, mas não sabe como torná-lo feliz, seguro, sábio, sereno.

 Jesus Cristo discursou sobre algo que a psiquiatria sonha, mas não alcança. Convidou categoricamente as pessoas a beber de sua felicidade, tranqüilidade e sabedoria. Quem tem coragem de fazer esse convite aos íntimos? As pessoas mais tranquilas perdem o controle nos focos de tensão.

Suas palavras e gestos são capazes de chocar também a sociologia. No auge da sua fama, ele curvou-se aos pés de simples galileus e lavou-os, invertendo os papéis sociais: o maior deve ser aquele que serve e honra os menores. Seus gestos planejados foram registrados nas matrizes da memória dos seus incultos discípulos, levando-os a aprender lições que reis, políticos e poderosos não aprenderam.

 Ele ainda fez gestos que abalam os alicerces da física, química e das ciências políticas. A educação também não passou incólume a esse grande mestre. Sua psicopedagogia não apenas atual, mas revolucionária. Ele transformou pessoas incultas, ansiosas e intolerantes na mais fina estirpe de pensadores. Quem é esse homem que foi desconsiderado pela ciência, mas perturbou seus alicerces?

 Analisando as suas últimas horas de vida, Ele está morrendo pendurado numa cruz. Era de se esperar que dessa vez ele não brilhasse em sua inteligência, que gritasse desesperadamente, fosse consumido pelo medo, derrotado pela ansiedade e reagisse por instinto como qualquer miserável às portas da morte. Mas ferido, ele foi mais surpreendente ainda. Seus comportamentos abalaram mais uma vez a psicologia.

 O homem Jesus fez poesia no caos. Você consegue fazer poesia quando a dor constrange a sua alma? Às vezes nem quando estamos atravessando terrenos tranqüilos produzimos idéias poéticas.

 A crucificação de Jesus Cristo talvez seja o evento mais conhecido da população mundial. Mas é o menos compreendido e o mais importante da história. Bilhões de pessoas sabem como ele morreu, mas elas não têm idéia dos fenômenos complexos que estavam presentes no palco da cruz e, principalmente, por detrás da cortina do cenário. Estudar seus últimos momentos abrirá as janelas de nossa mente para não apenas compreendermos melhor o mais misterioso dos homens, mas também quem nós somos… Afinal de contas, quem pode explicar a vida que pulsa em nós, se não for através de JESUS!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.